Os 4 estágios de desenvolvimento das nossas crianças

Bater educa?
26 de novembro de 2018
1º Encontro de Youtubinhos Galera NIN é neste domingo
7 de dezembro de 2018

Os 4 estágios de desenvolvimento das nossas crianças

Jean Piaget – foi o criador da Teoria Cognitiva – que nos ajuda a compreender o desenvolvimento das nossas crianças.

Este é um assunto importante e bem interessante, por este motivo resolvemos trazer neste post. É necessário que tenhamos conhecimento acerca deste assunto, para compreendermos também a melhor maneira de ajudar os nossos filhos/alunos em cada fase de desenvolvimento.

1º estágio – do 0 aos 2 anos – SENSORIMOTOR: A criança compreende e entende o mundo através das sensações e ações. É nesta fase também que a criança busca adquirir controle motor e aprende sobre os objetos que a rodeiam.

2º estágio – dos 2 aos 7 anos – PRÉ-OPERATÓRIA: A criança entende o mundo através da linguagem e de imagens mentais. Esta é a fase que também coincide com a pré-escola.

3º estágio – dos 7 aos 11 anos – OPERACIONAL CONCRETO: É quando a criança passa a entender o mundo através do pensamento lógico e categorias. Esse estágio passa a manifestar-se de modo mais evidente o que coincide com o início da escolarização formal. Surge a capacidade de fazer análises lógicas. A criança pode ser capaz de levar em conta o ponto de vista do outro. Neste momento, o declínio no egocentrismo passa a ser mais visível.

>>> É nesta fase que o método Galera NIN tem fundamental importância. Nesta etapa, tudo que envolve o funcionamento cognitivo deve estar a todo vapor. É preciso estimular as áreas de memória, atenção e as funções executivas, que são as responsáveis por direcionar comportamentos a metas, assim como avaliar a eficiência e a adequação desses comportamentos.  Essa é a fase em que a criança começa a orquestrar seu pensamento e pensar estratégias desde o momento de como organizar seu material escolar até se virar com as atividades escolares sozinho. <<< 

4º estágio – a partir dos 11 anos – OPERACIONAL FORMAL: É quando a criança começa a compreender o mundo através de pensamento hipotético e raciocínio científico.

Nesta fase, as deduções lógicas podem ser feitas sem o apoio de objetos concretos e é quando a criança aprende a criar conceitos e ideias.

É importante a identificação dos estilos cognitivos das crianças, uma vez que os estilos cognitivos predominantes podem influenciar o modo de aprender e, consequentemente, o modo de ensinar e a interação de quem aprende com quem ensina. Mas a ideia que NINGUÉM É IGUAL A NINGUÉM deve permanecer. Estudar sobre o desenvolvimento é importante para todos aqueles que convivem com as crianças!

Nos encontramos na próxima semana!

Abraços,

Ana Cubas – psicopedagoga – e Equipe Vanessa Tobias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *