O que são as funções executivas?
6 de novembro de 2018
Filhos de férias X Papais
21 de novembro de 2018

Filhos de férias X Mamães

2018 está chegando ao fim! E quando falamos de fim de ano lembramos das férias das crianças que estão prestes a chegar. É sobre manter uma relação equilibrada neste período – e para sempre – que queremos falar mais neste conteúdo. “Acreditamos que uma relação equilibrada em uma família, vale nas férias ou na rotina de aula, trabalho, etc.”, disse Ana Cubas, psicopedagoga.

Traremos ao conteúdo a inspiração do livro: Crianças francesas não fazem manha – para facilitar a nossa prática. Este post é para quem está buscando evoluir sempre na maternidade e especialmente para as mamães. É seu caso? Então vem com a gente!

O livro – Crianças francesas não fazem manha – conta sobre uma norte-americana que morava na França. Quando ela engravidou, reparou que as crianças francesas eram muito educadas, e as mães tranquilas. Tentou aprender com elas algumas dicas. Porém a maior surpresa foi: elas não têm dicas específicas, as mães francesas agem naturalmente!

 

O que aprendemos com este livro?

Os filhos não são o centro da vida das mulheres

Existe uma relação de equilíbrio muito perceptível entre a vida das mães após a maternidade, que vai desde a volta ao trabalho, alimentação saudável e de prazer, adequação de rotinas, entre outros detalhes bem inspiradores.

As mães francesas vivem além da maternidade.

Outro detalhe é que elas têm convicção de que o bebê é um ser inteligente, que tem capacidade de aprender e entendem mais do que podemos imaginar. Do ponto de vista prático, isto significa que é possível ensinar um bebê a ter rotina, a dormir e a ser inserido no ritmo da família. Também é válido para as crianças mais velhas. Se seu filho está entretido sozinho, seja com o móbile do berço ou com um jogo de quebra-cabeças, respeite-o, deixe-o, não o interrompa! .

Em relação ao sono, elas permitem que a criança faça a união dos ciclos do sono. Isso significa que, muitas vezes, o bebê chora de madrugada porque acorda (como todos nós fazemos) e ainda não sabe voltar a dormir. Nesta questão é necessário dar um tempo antes de ir para quarto pegar o bebê, precisamos deixar com que ele aprenda a pegar no sono novamente e sozinho.

Sobre a alimentação das crianças francesas – que são os exemplos do livro – elas têm horário para comer e não faz lanches fora de hora. Elas não têm comidinhas especiais “de criança”, elas começam as refeições pelos vegetais e mesmo que não gostem de um alimento, têm ao menos que provar.

 

O que ainda precisamos aprender?

No livro demonstra-se a relação que as crianças tem com a frustração: elas aprendem a esperar, serem pacientes e a se distraírem sozinhos.

Há comunicação e liberdade: o diálogo está sempre presente, com conversas que explicativas. As crianças ouvem “não”, mas também ouvem “sim”, sempre que possível.

Autonomia: os pais ajudam os filhos, mas deixam que as crianças façam sozinhas tudo que está ao seu alcance.

E para finalizar: o casal tem seu espaço – um lugar somente deles – preservando esta relação tão importante para manter o equilíbrio na família.

As mães francesas – inspiração deste texto – buscam sua realização pessoal e profissional. Elas se dedicam às atividades que lhes dão prazer e não deixam que uma área da de sobreponha a outra. Elas nos inspiram a ter tempo de qualidade, ou seja, quando estão no trabalho – estão 100% lá. Quando estão com os filhos – estão 100% com  os filhos. E assim vivem felizes com a maternidade e não sobrecarregadas por ela.

 

Vamos treinar este aprendizado durante as férias das nossas crianças?

Um beijo para as mamães e o nosso próximo post será inspirado para os papais! Aguardem!

Com carinho,

Ana Cubas – psicopedagoga e Equipe Vanessa Tobias


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *